A vulva menopáusica: como você anda cuidando dela? Conteúdo especial No Pausa

Nesse mundo de cremes, botox e tratamentos para todas as áreas do corpo, como você trata a sua vulva? Já pensou nisso? E como ela está impactando na sua vida sexual? 

no pausa envelhecimento menopausa perimenopausa climatério ressecamento vaginal

Com esta pandemia que não acaba mais, um tema tem aparecido com frequência: genitalidade. Exatamente. Muitas perguntas sobre como a nossa genitalidade reage ao stress, ao passo dos anos. E a gente notou que não é um tema muito explorado. Conversamos, até com certa soltura, sobre lubrificantes vaginais. Mas sobre hidratantes vulvares? 

Vocês concordam que tem pouca informação sobre isso? 

Aproveitando esse momento começamos a perguntar e vimos que a secura vaginal era só a “ponta do iceberg”. 

O que acontece conosco tem a ver com um conjunto de coisas que ocorrem em nossa vulva – e sobre as quais não falamos - e que progressivamente começam a interferir no nosso prazer sexual.

Mas vamos ponto a ponto: o que exatamente está acontecendo?

Com o passar dos anos, nosso rosto e corpo começam a mudar. A pele fica seca e as características faciais começam a "murchar" um pouco. Aparecem rugas e aquela pele que antes era fresca e com um aspecto mais “rechonchudo” (ô palavra boa de falar né?), agora começa a ficar mais áspera e flácida .

O mesmo acontece com a nossa vulva. Com a perimenopausa, a produção de estrogênio - responsável por manter as paredes vaginais lubrificadas – diminui. Nossa vagina pode ficar mais seca do que nunca e nossa vulva começa a perder sua elasticidade e “aparência” com a qual estávamos acostumadas: os lábios internos e externos ficam mais finos do que quando o estrogênio “reinava” no nosso corpo por exemplo.

Algo semelhante também acontece com a nossa vagina (aproveitamos para perguntar: você é uma das nossas que chamou a vulva de vagina a vida toda?).

Com a diminuição do estrogênio, nosso colo do útero (que costumava gerar muco cervical) começa a secar.

Quando chega a menopausa - e sem a lubrificação necessária -, a vagina pode "encurtar" e ficar mais fechada (como era antes da puberdade!). É aí que a penetração pode doer, ou até machucar, se a gente não se preocupar com lubrificação interna e externa.

Mas a secura vaginal não é “monopólio” menopáusico. Também pode ocorrer em outros momentos da vida, como gravidez, lactação e durante o uso de alguns métodos anticoncepcionais hormonais (informação para compartilhar com nossas amigas não menopáusicas!).

Mas não queremos fazer uma lista de mudanças e sim sugerir algumas ideias para tornar tudo isso mais fácil:

- Muito beijo, abraço e amasso... para uma vulva em idade fértil estar perfeitamente preparada lubrificada e excitada, ela precisa de um mínimo de 20-30 minutos de estimulação prévia. Você sabia? Então, se falamos sobre a vulva menopáusica, podemos precisar de mais tempo (aproveite!) e talvez de um lubrificante. Por que não?

- Nem todo sexo é penetração: uma estimulação no clitóris que pode perfeitamente levar ao orgasmo.

- Se a penetração, mesmo com lubrificantes, anda incomodando, uma ideia (depois de consultar com o/a medico/a de que está tudo bem) é incorporar brinquedos sexuais, de pouca grossura, ou usar bolinhas chinesas durante o dia para preparar a vagina para a penetração. 

- E mais importante: não abandone sua vida sexual. Libido tá baixa, vagina tá mais seca? Vamos buscar soluções! Não estamos em um relacionamento? Masturbação. Estamos em um relacionamento? Masturbação também. Quanto mais estimularmos a área, mais fácil será o sexo. É um circulo virtuoso: quanto mais penso e faço sexo, mas quero fazer sexo. O contrario também é verdade. Quanto menos me ocupo da minha vida sexual é bem possível que tenha cada vez menos vontade. 

Outra grande notícia: a masturbação também é indicada como tratamento médico para quem já passou pela menopausa já que está comprovado que pode ajudar a prevenir a secura excessiva na área. Laura Streicher, professora de Obstetrícia e Ginecologia da Feinberg School of Medicine (Chicago, Estados Unidos) e autora do livro em inglês 'Sex Rx-hormes, health and your best sex ever' indica e confirma que favorece a lubrificação e reduz o ressecamento do tecido vaginal.

- Se já não começou é um bom momento pra incorporar o lubrificante! E o hidratante vulvar. Como todo produto pesquise, pergunte pras amigas, experimente. Afinal porque não cuidar da nossa vulva como cuidamos do nosso rosto? Fica a dica.

Uma última sugestão: nunca, jamais, faça sexo apenas para agradar alguém! Em qualquer idade! Em outras palavras, durante esta etapa de tantas mudanças hormonais, é fundamental encontrar uma maneira de que o sexo continue sendo agradável e prazenteiro. E pode até ser de novas maneiras e porque não de formas muito diferentes do que você sempre gostou.

Como sempre dizemos no No Pausa, a menopausa traz muitas mudanças, mas essas mudanças não nos excluem da arena sexual. Simplesmente a nossa sexualidade as vezes se modifica. E vamos aproveitar! Somos seres sexuais até o último dia de nossas vidas. 

Bom sexo para todo mundo! E muito amor pra nossa vulva!

Texto desenvolvido com carinho pela No Pausa Brasil. Você encontra mais conteúdos incríveis pelo Instagram @nopausa.br

ressecamento vaginal menopausa incomodo prazer libido feminino hidratante íntimo

 

✔️ Produto adicionado com sucesso.