Feel entrevista a fisioterapeuta pélvica Dra. Alessandra Artuso

Nem sempre a lubrificação que queremos e necessitamos, acontece de forma natural, e falar sobre, ainda é um grande tabu envolto a muitos pré conceitos. 

Por isso, convidamos a fisioterapeuta pélvica Dra Alessandra da @academiadavagina para uma conversa necessária sobre o assunto que vai estabelecer uma relação saudável e de cuidado com a sua lubrificação.

FEEL: Nos seus atendimentos ainda vê muito desconhecimento das mulheres em relação a lubrificação e utilização de lubrificantes?

Dra Alessandra: Com toda certeza. A grande maioria das pessoas não teve educação sexual, consequentemente não conhecemos e não sabemos como funciona o nosso corpo e o ciclo de resposta sexual. Existe também uma ideia muito errada sobre o uso dos lubrificantes. Muitas mulheres não usam por vergonha, ou por acharem que ao usar lubrificante o parceiro vai achar que ela não está tão afim assim. Mas, tem muitos fatores que podem interferir na nossa lubrificação. Então, precisamos trazer mais e mais informações sobre o tema. Porque falar em educação sexual é sobre saber nossos LIMITES, VONTADES, o que queremos e gostamos, o que nos deixa bem e feliz, mas de uma forma saudável e responsável.

 

FEEL: Quais são as causas mais comuns da perda de lubrificação?

Dra Alessandra: Falta de lubrificação pode estar relacionado a diversos fatores, alguns deles são: período do pós parto, no caso das mulheres que estão no pós parto, por conta da amamentação temos o aumento da prolactina (para produção do leite) e ela inibe a dopamina, e a dopamina é responsável pelo estímulo sexual que consequentemente pode diminuir a lubrificação, além de ter uma diminuição do estrogênio reduzindo a lubrificação. Mulheres na menopausa/climatério, pode acontecer a “atrofia vulvovaginal” pelo hipoestrogenismo. Nesse caso, o estrogênio define a espessura da mucosa, e a vascularização, e quanto mais vascularização mais rápida a resposta de excitação, e com baixa do estrogênio temos a diminuição da lubrificação. Além disso, o uso de medicamentos pode influenciar na lubrificação, como por exemplo o anticoncepcional. Outro motivo da falta de lubrificação é não estar devidamente excitada, isso pode influenciar na lubrificação, pois a lubrificação é uma das respostas do corpo na fase de excitação, então se por exemplo a mulher não é bem estimulada pode não conseguir ficar excitada o suficiente e a lubrificação não vir. Pode ser até por uma disfunção da musculatura do assoalho pélvico, porque essa musculatura participa do processo de excitação. Enfim, existem diversas causas que podem interferir na lubrificação natural, pode ser por uma ansiedade, insegurança, pode variar até com o ciclo menstrual. 

 

FEEL: Infelizmente muitas mulheres não conhecem o funcionamento do seu corpo, existem alguns sintomas que podemos citar que indicam que de fato está faltando lubrificação? Quais são eles?

Dra. Alessandra: Alguns sintomas são: dor/desconforto durante a relação sexual, leves sangramentos por conta das fissuras vaginais que são aqueles “cortezinhos”, as próprias fissuras, ardência durante o sexo ou após. Esses são alguns sintomas que podemos citar quando está faltando a lubrificação.

 

FEEL: Quais problemas as mulheres com ressecamento vaginal podem evitar com a utilização de lubrificantes?

Dra. Alessandra: MUITOS! Um dos principais são as fissuras vaginais, que consequentemente leva a dor, desconforto, e ardência durante a relação sexual. 

 

FEEL: Qual a importância da escolha de lubrificantes com ingredientes naturais para a saúde da mulher? 

Dra. Alessandra: É super importante escolhermos para nossa vida, na verdade, os ingredientes naturais, e isso vale para o lubrificante também. Escolher um lubrificante com ingredientes naturais é principalmente para manter a mucosa vaginal equilibrada, o pH equilibrado, e quando usamos produtos com ingredientes “ruins”, mais artificiais e cheios de parabenos e outros componentes tóxicos, pode sim levar a um desequilíbrio no pH vaginal, levando a infecções vulvovaginais. Além disso, lubrificantes que não contém ingredientes naturais podem piorar a hipersensibilidade que algumas mulheres têm na região vulvar. 

 

FEEL: Existe uma faixa etária ou fase de vida em que é mais comum o ressecamento? 

Dra. Alessandra: Existe, principalmente quando a mulher está no período do pós parto e menopausa/climatério.

 

FEEL: Tem alguma dica para a utilização de lubrificante, modo e forma de utilizar?

Dra. Alessandra: Isso depende, e vai variar muito de mulher para mulher. Minha dica é apenas, usem! Se você sentiu que está mais ressecada, não está tão lubrificada, use! Porque muita coisa interfere na nossa lubrificação, e não estar tão lubrificada não quer dizer que não está excitada. Precisamos acabar com essa ideia de que usar lubrificante significa “impotência”. 

 

FEEL: O que acontece com o corpo da mulher durante a menopausa que provoca o ressecamento?

Dra. Alessandra: Ocorre uma baixa do estrogênio, chamamos de hipoestrogenismo. E o estrogênio é responsável pela mucosa vaginal, então quando temos essa baixa do estrogênio consequentemente temos diminuição do espessamento da mucosa vaginal, levando ao ressecamento, a atrofia vaginal.

 

FEEL: O ressecamento está ligado a perda ou diminuição de desejo sexual? 

Dra. Alessandra: Não necessariamente, mas pode ser sim uma causa, porque a falta da lubrificação pode ser pela falta de libido sexual. Sempre digo que para ter uma relação sexual prazerosa, é extremamente importante que a mulher esteja devidamente excitada, querer estar ali ou por um desejo espontâneo ou pelo responsivo para que a relação sexual seja prazerosa e com satisfação.

 

FEEL: Além de utilizar lubrificantes, o que mais uma mulher que sente dor durante as relações sexuais pode fazer para ter uma relação mais prazerosa e saudável? 

Dra. Alessandra: A principal “dica” é procurar ajuda de profissionais que vão olhar para a dor, e mais ainda, vão olhar para a pessoa como um todo. Existem MUITAS causas para estar sentindo dores durante a relação sexual, e precisa ser investigado para o tratamento, porque não é normal ter dor durante a relação sexual. Mas, de um modo geral, para termos mais prazer e ter uma relação sexual saudável, é o autoconhecimento, entender como seu corpo funciona, tomar posse do seu corpo e do seu prazer, é sobre ter autonomia.  

 

© RESPOSTAS DE ALESSANDRA ARTUSO, FISIOTERAPEUTA PÉLVICA. TODOS DIREITOS RESERVADOS.

✔️ Produto adicionado com sucesso.